Outro Sonho


O homem invisível apanhou o seu chapéu invisível e saiu pelas ruas.
A casa vazia não sente a sua falta.
O cão invisível desistiu de esperá-lo, ele nunca voltou.
As montanhas, as pontes, as portas o viram e esqueceram.
Apenas paredes nuas guardam o seu retrato.
O homem invisível desfez-se sem ter sido mais que um sonho,
um sonho que morreu na noite de um homem real.